BCPrime

Operações com cartão de crédito preocupam Banco Central e Abesc

Operações com cartão de crédito preocupam Banco Central e Abesc


Postado em Contabilidade

Não se pode dizer que o Brasil é conhecido ao redor do mundo pela sua cultura financeira, entretanto, esta afirmação é válida quando se fala sobre taxas elevadas de juros. Unidos, estes fatores constituem a causa de uma grande porção da fragilidade do nosso mercado (tanto para compradores quanto vendedores). A fim de reduzir os efeitos de tal anomalia, alguns órgãos brasileiros resolveram iniciar uma campanha de conscientização.

Através de uma série de nove vídeos sobre educação financeira, o Banco Central (BC) e a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviço (Abecs) pretendem incentivar um uso mais racional do cartão de crédito. O foco no uso do cartão se deve às pesquisas, que mostram, dentre outras coisas, que mais de um quinto dos entrevistados admitem não ter condições de quitar a última fatura, diz Isaac Sidney, diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do BC. Estas medidas custarão aos envolvidos um montante de R$ 350 mil.

Há tempos o BC vem tomando diversas medidas com o objetivo de reduzir as taxas de juros, pois, como bem lembra Fernando Chacon, presidente da Abecs, “ninguém se orgulha dos juros praticados no país”. Uma destas medidas, que está em vigência desde abril, foi a que determinou que as faturas que não forem completamente liquidadas serão parceladas quando atingir o prazo da fatura seguinte. Espera-se com isso, diminuir os custos desta modalidade de operação financeira.

A cobrança sobre as faturas que receberam apenas o pagamento mínimo chegou a 221,4% ao ano, enquanto a cobrança para faturas em que o valor mínimo não foi pago ou recebeu pagamento atrasado superou a faixa dos 500% ao ano. É com o tema “Se passar o cartão, não passe dos limites”, que ambas organizações tentarão mostrar os efeitos imensos que estas taxas podem gerar no orçamento caso as pessoas não gerenciem seus gastos.

Tanto as medidas de caráter financeiro, que atingem diretamente a taxa de juros, as cobranças e custos da operação de financiamento por cartão de crédito, quanto as medidas de conscientização são estratégias importantes para a regulação do mercado. Sidney diz ainda que este tipo de atitude é, inclusive, uma forma de proteger os direitos do cidadão.

 

Fonte: Agência Brasil