BCPrime

Uma perda financeira dói mais do que a felicidade de ganhar dinheiro

Uma perda financeira dói mais do que a felicidade de ganhar dinheiro


Postado em

Vamos imaginar que a sua cidade lançou uma nova loteria. O ganhador do prêmio de R$ 300 pode escolher entre duas alternativas: A) 100% de chances de ganhar mais R$ 100, ou B) 50% de chances de ganhar mais R$ 200 e 50% de chances de perder R$ 0 (e ficar com os R$ 300). Se você fosse como a maioria das pessoas, optaria pela primeira opção: melhor ter R$ 400 com segurança no bolso do que correr um risco de ficar com apenas R$ 300.

Porém, esta loteria também tem um outro prêmio. Neste, o ganhador leva R$ 500 e pode escolher entre as seguintes alternativas: A) 100% de chances de perder R$ 100, ou B) 50% de chances de perder R$ 200 e 50% de chances de perder R$ 0 (e ficar com os R$ 500). Se fosse com você, qual destas duas opções você preferiria?

O economista que analisa comportamentos Richard Thaler revela no livro “Misbehaving” que no segundo teste, 64% dos participantes preferiam a opção 2, ou seja, aceitavam correr o risco de perder R$200,00 e ficar com apenas R$300 para manter os R$500,00. Mas no primeiro teste, 72% optaram pela opção A e apenas 28% optavam pela B.

O fato intrigante é que os dois testes são idênticos, tanto no primeiro como no segundo a opção A o ganhador fica com um prêmio de R$400,00, e na opção B, têm 50% de chances de manter R$300 e 50% de chances de levar R$500. A pergunta que fica é porque na primeira versão do teste a opção A é tão claramente superior à B, e no segundo teste a situação se inverte?

O fato curioso é explicado por Thaler  “As pessoas são avessas ao risco no que diz respeito aos ganhos, mas procuram o risco no que tem a ver com perdas”. Quando estamos em uma situação que nos favoreça aceitamos correr menos riscos, já quando a situação é oposta a tendência é correr mais riscos para obter uma melhor solução.

Daniel Kahneman (Prêmio Nobel de Economia de 2002) e Amos Tversky que descobriram esta revelação, e através dela foi desenvolvido da economia comportamental.

Fonte: G1